Top Social

"Ele era o meu centro das atenções e achava-o tão bonito que queria exibir as fotos dele na internet "

10.7.12
Entrevista| Nunca escondi de ninguém que uma das minhas grandes inspirações para levar este blogue a bom porto vem do outro lado do Atlântico - AuAuAurélio. A Adriana é uma simpatia de pessoa e o seu Aurélio, um amor de Shih-tzu. Uma entrevista muito ansiada e por fim concretizada, espero que gostem tanto como nós. Aguentem até ao final da entrevista.
Aurélio!
Gentileza de Adriana Diniz

[O Mundo do Lucas (OML)]: Uma descrição do blogue pela autora Adriana.
O AuAuAurelio! é um blog que traz informações úteis e de qualidade para donos de cães, especialmente aqueles da raça Shih Tzu. O diferencial dele, em relação a sites que oferecem informações sobre cachorros, é o fato de ser escrito sob a perspectiva de uma dona de cachorro. Não deu para entender? Então dá uma passadinha lá para conferir o que estou querendo dizer: www.auauaurelio.com.

[OML] Quem é a autora do AuAuAurelio?
Uma pessoa absolutamente normal e que, inspirada pelo cachorro recém-chegado ao lar, resolveu escrever sobre peripécias caninas.

[OML] De onde surgiu a ideia de criar o blogue? Obteve alguma inspiração em algum blogue para começar a publicar o seu?
Eu já gostava de blogs antes de ter o Aurélio. O blog sobre casamento da Constance Zahn (http://www.constancezahn.com/), e que hoje é praticamente um site, foi uma das fontes que me fez pensar em um dia ter o meu próprio blog. O assunto para escrever viria mais tarde, com a chegada do Aurélio ao meu lar. Eu tinha muitas dúvidas e, curiosa que sou, passei a ler bastante sobre o assunto na internet. Um blog que visitei no início sobre Shih Tzus foi o da Carolina Mattei, do Canil Mon Amour Megan (http://canilmonamourmegan.blogspot.com.br/). 

Algo que me estimulou a lidar mais séria e comprometidamente com o blog foi a percepção, na época, da carência de informações de qualidade na internet que fossem específicas sobre Shih Tzus, a raça do Aurélio. Vi aí uma oportunidade, pois poderia aproveitar essa lacuna para conquistar um certo espaço na blogosfera canina. Acho que isso aconteceu, pois em pouco tempo o blog foi bastante reconhecido (http://www.auauaurelio.com/p/blog-por-ai.html). Apesar dessa lacuna, na época em que blogava (final de 2009 e 2010), lembro que surgiram ideias mais maduras de sites e blogs sobre cães no Brasil. Surgia, por exemplo, o Canina Blog (http://caninablog.wordpress.com/), da Renata Faggion, e alguns blogs foram reformulados, ganhando um layout e uma proposta mais profissional. Cito, por exemplo, o Cão em Quadrinhos (http://www.caoemquadrinhos.com.br/site/), da Ana Carolina e Manoela Trava Dutra, o Ville Chamonix(http://www.blog.villechamonix.com/), da Camilli Chamone, e o Mãe de Cachorro(http://www.maedecachorro.com.br/), da Ana Corina. O site do Cachorro Verde (http://www.cachorroverde.com.br/), da veterinária Sylvia Angélico e da fotógrafa Vanessa Firmino, estava na vanguarda, pois já apresentava, para a época, um visual bem amadurecido em termos de sites sobre cães.

[OML] O que levou a Adriana a deixar o blogue em stand by?
Acho que o blog não está em stand by, creio que está off mesmo!!! rsrsrsrs 
Isso tem tudo a ver com a chegada do segundo cão, um Basset Hound, chamado Sherlock. Infelizmente, fizemos uma escolha infeliz e o trabalho que passamos a ter com ele não me deixava espaço, tempo ou alegria para escrever (http://www.auauaurelio.com/2010/08/drama-em-quatro-atos.html). 
Passada essa fase, depois que resolvemos doá-lo, o trauma foi tanto, que não havia mais inspiração para escrever. Só queria descansar e dar um tempo na internet já que fui condenada por algumas pessoas pela doação do cão. 
Depois que interrompi a produção de artigos, cheguei a pensar em escrever um ou outro texto para contar as novidades. Mas logo mudava de ideia pois não queria gerar falsas expectativas nos leitores, que poderiam pensar que eu voltaria a escrever como antes. E eu não voltaria, pois estava concentrada em estudar para conseguir um emprego melhor. 
Fiquei muito feliz com os diversos pedidos que recebi para que voltasse a blogar (http://www.auauaurelio.com/2010/08/abrindo-o-jogo.html).
Aurélio e Sherlock.
Gentileza de Adriana Diniz
[OML] O que a motivava a escrever sobre o Aurélio?
Ele me motivava! Quando o Aurélio chegou, eu o achava lindo, só pensava nele e fazia um monte de coisas com ele: brincava, passeava, penteava, dava banho. Ele era o meu centro das atenções e achava-o tão bonito que queria exibir as fotos dele na internet. 
No início, acho que queria mais mostrá-lo, do que escrever sobre ele...

[OML] O Aurélio é um shih tzu muito querido, como tem andado ele nos últimos tempos? Que novas aventuras tem para nos contar do Aurélio?
O Aurélio está ótimo. As últimas fotos dele que postei na internet podem ser conferidas aqui: https://adrianaediniz.wordpress.com/2011/08/14/enquanto-o-pao-cresce/
Não há muitas novas aventuras, pois agora sou uma dona de cachorro comum: desço com ele diariamente para que ele faça as necessidades, dou a comida e rimos e brincamos com ele. Nada inusitado!

[OML] Tem visitantes que resultaram em amigos para si e para o Aurélio?
Eu diria que conheci pessoas muito legais. Algumas se identificavam tanto com o blog, que se abriam comigo, contando até sobre problemas pessoais. 
A pessoa que se tornou uma amiga e por quem tenho muita consideração e estima é a criadora de bulldogs franceses Camilli Chamone, do Ville Chamonix (http://www.villechamonix.com/). Ela foi fundamental para que tomássemos coragem para doar o Sherlock, além de ter me dado inúmeras dicas, ajudas e conselhos. Foi muito enriquecedor compartilhar experiências com ela. 
Há uma leitora do blog que passeia com seu Chiwawa, o Obama, no mesmo local em que passeio com o Aurélio. Ela é superfã do blog e passou muito tempo tentando me fazer voltar a escrever. É muito bom receber o carinho das pessoas, seja virtual ou pessoalmente!
Aurélio!
Gentileza de Adriana Diniz
[OML] Se tivesse um minuto para convencer a ter um Shih-Tzu, quais os argumentos que usaria?
Depois de tanto ler sobre o assunto, de ter tido a experiência de adquirir um cachorro de raça imprópria para apartamento e de saber que meu marido não é muito fã da raça (http://www.auauaurelio.com/2009/12/10-coisas-que-o-rodrigo-odeia-no.html), acho que, primeiramente, eu teria mais argumentos para dissuadir alguém a ter um cão. Somente após me certificar de que a pessoa realmente reúne condições adequadas para ter um cão e espera um temperamento e comportamento típicos do Shih Tzu, eu o indicaria. 
Infelizmente não posso dizer muito das outras raças de cães, o que talvez facilitaria o meu trabalho de identificar se o Shih Tzu seria a raça “perfeita” para determinada pessoa. 
Embora também saiba que cachorros de uma mesma raça possam apresentar características comportamentais um tanto diferentes, vou colocar aqui algumas características típicas dessa raça, que, no entanto, não são sempre regra. Shih Tzus são cães que: 
  • latem pouco (não são cães de alerta); 
  • de pouco exercício (não são cães para acompanhá-lo na caminhada ou corrida); 
  • gostam de ficar na companhia do dono em casa (são cães de companhia); 
  • pouco leais (vão muito bem com estranhos!); 
  • não são agressivos; 
  • aprendem a fazer cocô e xixi com aulas de adestramento adequadas, que podem ser feitas mesmo por leigos (eu consegui!); 
  • são ótimos para serem acariciados, pois, além da pelagem macia, não se importam, pelo contrário, até gostam de serem ninados como a um bebê (na verdade, o Aurélio é assim, mas conheço Shih Tzus que não gostam de ficar no colo); 
  • exigem bastante investimento em banho e tosa, por conta da pelagem; 
  • têm porte pequeno, o porte ideal para apartamentos ou para ficarem no interior de casas; 
  • não despertam medo nas pessoas, por terem uma aparência de “ursinho”. Na verdade, muitas crianças querem pegar nele! 

[OML] Quais os apelos mais urgentes gostaria de lançar?
Quando comecei a ler sobre cães na internet, nem sei mais se hoje é assim, muito se falava sobre a castração (castrar ou não castrar) e sobre a alimentação (dar ou não ração). 

Como em outras áreas da vida, o mais importante é o dono de cachorro buscar esclarecimentos adequados em fontes de informação confiáveis e junto ao profissional veterinário do seu cão para saber a coisa certa a se fazer. É importante também que, ao tomar uma decisão, como a de castrar o cão ou a de mudar a alimentação do cão, a pessoa sinta-se confortável com essa decisão. 

Na época em que castrei o Aurélio, sentia uma certa pressão para que isso acontecesse. Eu também tinha esse desejo, pois ele montava muito em outros cães (http://www.auauaurelio.com/2010/02/o-desafio-de-passear-com-o-aurelio.html). Mas me pergunto se esse comportamento não teria mudado com o tempo, sem a necessidade de uma intervenção cirúrgica. O meu marido acha que não deveríamos tê-lo castrado, pois acredita que o Aurélio ficou menos cachorro depois disso: dormia muito, mais quieto e medroso. Nunca teremos certeza. 
Um texto que esclarece, sem pressionar a realização da castração, é este, da Sylvia Angélico: http://www.cachorroverde.com.br/castracao.php

Em relação à alimentação, também já cheguei a me sentir mal, no meio internético, por dar ração e não alimentação da dieta divulgada no site do Cachorro Verde (http://www.cachorroverde.com.br/index.php), por exemplo. 

Hoje o Aurélio faz uso dessa alimentação divulgada pelo site, porém isso só foi feito depois de muito ler, esclarecer-me sobre o assunto e realmente acreditar que essa é a melhor opção para o Aurélio. 

O engraçado é que, na internet, eu me sentia meio condenada por dar ração (quando dava ração para o Aurélio) e na vida em sociedade, no mundo real, sinto-me condenada por não dar ração! As pessoas, em sua maioria, acreditam que o que dou é resto do almoço que não quero mais e não tem nada a ver! Também há muito preconceito em relação à comida ser crua, mas sempre explico que ela deve ser lavada com vinagre, cujo excesso deve ser retirado em água corrente, e deixada no congelador por, no mínimo, 72 horas antes de ser servida ao cão. 

Enfim, tanto em um quanto em outro assunto, percebo que há muita pressa em dar o veredicto final e pouca informação. Na internet, pelo menos na época em que blogava, tinha a impressão de que a castração e a alimentação natural (AN) eram sempre a coisa certa a se fazer e ai de você se fizesse diferente: não queria bem ao cachorro. 

Por outro lado, no dia a dia, percebo que as pessoas pensam bem ao contrário: acham-me malvada por ter castrado o Aurélio (“coitadinho”, é o que dizem) e que não cuido direito dele por não dar ração!!! Rsrsrsrs. O Aurélio já chegou a sofrer “bullying” por ter sido castrado: chamaram-no de “gayzinho”. Pode? 

O último apelo que gostaria de fazer é ter muita calma para saber se deve ou não ter um cão em casa, para quem indico o seguinte texto: http://www.auauaurelio.com/2010/05/ter-ou-nao-ter-um-cao.html

Se reunir as condições adequadas para ter um cão, é hora de pesquisar e procurar pela raça que melhor se ajusta às expectativas de temperamento e comportamento do futuro dono (http://www.auauaurelio.com/2010/05/antes-de-ter-um-cao.html). 

A pena é que muitas pessoas só encontram o blog AuAuAurélio!, por exemplo, depois de já haverem adquirido um cão e estarem com algum problema com ele! 

Para finalizar, a Adriana deixou um miminho: Bem, Joana, é isso o que tinha a dizer! Mais uma vez agradeço a oportunidade, foi um prazer para mim conceder essa entrevista. Agradeço também a todos os que leram e chegaram ao final dessa entrevista. Um forte abraço!