Top Social

Pet Book: Cão como nós

20.7.12

Pet Book| Acabei de ler o livro de Manuel Alegre "Cão como nós". Kurika é um cão que não queria ser cão comportando-se como uma pessoa. Era "castanho e branco com uma estrela no rosto"
O livro em si é pequeno, mas transborda mensagens por tudo quanto é canto. A transparência de sentimentos abunda neste livro, estão presentes o amor, a saudade, a tristeza, a alegria, tal como nas nossas vidas. É latente o amor entre o cão e o narrador. Facilmente nos conseguimos colocar na pele do narrador e sentir toda aquela emoção que é perder um cão.

O sentimento de perda presente neste texto fez-me abraçar o Lucas e segredar-lhe ao ouvido que nunca me deixasse.  "Sim, cão, eu sei que é difícil, não só para ti mas para aqueles de quem mais gosto, não posso fazer nada, não estou a ouvir ou estou a ouvir outras vozes, estou e não estou, mas é por isso que te pressinto e sei que estás aí, se não fosse como sou já tinhas morrido completamente”

Toda a expressividade e atitudes presentes num cão diminuem qualquer tipo de ausência de fala, de sorrisos, o que faz com que sejam como pessoas. Entendem tudo, nós é que achamos que não. Manuel Alegre diz que "o cão é sempre ausente-presente", talvez porque não nos critica, não diz nada, mas está sempre presente.  Quando nos zangamos com meio mundo, são os amigos que estão presentes, são a eles que recorremos como refere o livro: "Zanguei-me com toda a gente, não me deixes agora, é em momentos assim que um homem precisa do seu cão"

Recordar é viver e Manuel Alegre fá-lo tão bem "Sei que andas por aí, oiço os teus passos em certas noites, quando me esqueço e fecho as portas começas a raspar devagarinho, às vezes rosnas, posso mesmo jurar que já te ouvi a uivar, cá em casa dizem que é o vento, eu sei que és tu, os cães também regressam, sei muito bem que andas por aí."

No final do livro existe um poema dedicado ao Cão Como Nós, que passo a transcrever.


Cão como nós:

Como nós eras altivo
Fiel mas como nós
Desobediente
Gostavas de estar connosco a sós
Mas não cativo
E sempre presente-ausente
Como nós
Cão que não querias
Ser cão
E não lambias
A mão
E não respondias
Cão
Como nós